Ortopedista especialista em Medicina Esportiva - Ipiranga e Pinheiros - Dra. Luciana Garms

LESÕES NO TRIATHLON

O triathlon é um esporte de endurance que combina três modalidades: natação,ciclismo e corrida

19 de janeiro de 2017 às 16:01 por Luciana Garms

 

O triathlon é um esporte de endurance que combina três modalidades: natação,ciclismo e corrida. A modalidade hoje tem quatro tipos de provas, diferenciando-se entre elas pelas distâncias percorridas: sprint, padrão ou olímpico, meio Iron Man e Iron Man.
É um esporte que desafia os limites da capacidade física e também mental!
A exigência fisiológica da prática sequenciada das três modalidades é impar! Desse modo impõe ao atleta de triathlon o desenvolvimento de características antropometricas e fisiológicas distintas. Habitualmente os triatletas possuem elevado VO2Max( máxima capacidade de transporte de oxigênio), baixo índice de gordura corporal, um limiar anaeróbio alto e são adaptados a realizar economia de movimento. É comum os treinos incluirem duas modalidades no mesmo dia.
Como em todos os esportes, entender os mecanismos de lesões mais frequentes e os fatores que colocam o atleta em risco é importantíssimo para o desenvolvimento de um trabalho preventivo.
Há relatos em estudos que citam até mais de 70% de lesões crônicas nos triatletas, considerando que essas lesões são causadas por sobrecarga mecânica repetitiva.
A transição entre as modalidades do triathlon tem relação com esse índice de lesões e desempenho no esporte. A transição ciclismo-corrida tem sido relatada como fator determinante para esse índice: os atletas relatam com frequência a sensação de coordenação motora prejudicada durante essa transição, assim como alterações da cinemática da corrida. Essas alterações apresentam relação com o grau de fadiga muscular após o tempo de atividade.
As lesões por overuse são as mais comuns em triatletas, muito mais comuns que as lesões agudas e doenças, o que dificulta a análise do mecanismo que a causou . O erro na organização do treino é um fator de risco comum nesse esporte.
O risco de lesões pode não estar relacionada somente ao volume total de treino, mas sim com a combinação de atividades de treinos, intervalos de descanso,com individualidade de programação e com a biomecânica.
As lesões em membros inferiores são muito mais frequentes, sendo as lesões musculotendineas e ligamentares mais prevalentes. Os locais de maior índice são joelhos,seguidos por pernas, tornozelo/pé, coluna e ombros. A carga maior de volume de treino de bike e corrida explicam essa prevalência. A tendinopatia patelar e Sd. Trato Ílio Tibial são duas lesões bastante comuns nessas modalidades. A sobrecarga do Manguito Rotador levando a dor no ombro é a lesão mais frequente avaliando a natação isoladamente.
A maior parte dos tratamentos propostos é conservadora! Incluindo fisioterapia para controle inflamatório e funcional, ajustes de carga de treino e trabalho mecanofuncional. 
O trabalho preventivo é fundamental para diminuir o índice de lesões, e inclui aspectos de força, controle motor, coordenação muscular e correção do movimento e gesto esportivo. Essas variáveis podem ser trabalhadas isoladamente ou em conjunto.
Alguns pontos são importantes e devem ser enfatizados ao atleta:
1. Trabalho de fortalecimento muscular
2. Avaliação da biomecânica da corrida, base para a reabilitação funcional
3. Avaliação da postura no ciclismo / bike fit 
 
O trabalho em cima de um atleta de triathlon deve ser multidisciplinar.... médico especialista na área esportiva, nutricionista, fisioterapeuta e o profissional de educação física! Poder fazer um trabalho preventivo, agir no momento certo em que as lesões surgem sem dúvida é o melhor caminho para manter a saúde, e como consequência poder trazer uma melhora de performance ao atleta.
 
 
 

-